Quando você trabalha por sua conta, entra um dinheiro bom, mas que muitas vezes desaparece, e fica a pergunta: “para onde foi à grana que entrou? Não tenho grandes despesas…”

Sempre que você compromete seu dinheiro com uma despesa mais alta, a mensalidade de um curso, a parcela de um carro, você pensa três vezes, faz as contas e se planeja mas… E nas pequenas despesas? E, aliás, as pequenas despesas são pequenas mesmo?

Num mês trabalhamos de 20 a 25 dias, um salgado, um café, a folha de zona azul, um pacote de balas, um trocado para o menino do sinal, uma bobagenzinha que vai para a mesa e depois para o lixo, tudo isso ao longo do mês, quem já fez a conta de quanto saiu? É aí que o dinheiro some, qualquer profissional sério de orientação financeira têm entre suas dicas que tenhamos o controle orçamentário, o controle de TODAS as despesas, aquele que quando feito mostra o quanto pesam as pequenas despesas, muitas vezes os cafezinhos de todo o mês consumiram o dinheiro da faculdade, do carro, mas sem fazer as contas não percebemos… O tempo passa e não fazermos nossas contas impediu de chegarmos ao resultado que queríamos na vida

Mas nada de choro e ranger de dentes, ainda temos tempo, então vamos lá: tenha sempre em mãos uma forma para anotar suas despesas logo que acontecem ou logo em seguida (não deixe para depois, nem mesmo para o fim do dia, que não se lembrará de tudo) marque tudo conforme acontece e tire o fim de semana para “fechar o balanço” da semana. O ideal se você recebe por Job ao longo do mês é fechar esse balanço marcando tudo que recebeu e gastou ao longo da semana e depois puxar um total do mês. Normalmente sabemos quase tudo das receitas e grandes despesas, e temos surpresas com pequenas despesas.